Data(s)

09/04/2022 
26/06/2022

Local

Coimbra 

Informações Práticas

Programa completo no site.

Site & Redes Sociais

Apresentação

A edição do Anozero’21-22 quer libertar-se do pensamento dualístico e narrativas modernas que dividem a contemporaneidade e geram uma sobreposição de discriminações como racismo, classismo, sexismo ou ableísmo, por exemplo, usando um conjunto de metodologias que ajudarão a experimentar formas criativas, não convencionais e marginais de produção de conhecimento. Utilizando uma perspectiva feminista, as curadoras Elfi Turpin e Filipa Oliveira irão desafiar um grupo de artistas a partilhar as suas ferramentas críticas, que multiplicam e desconstroem mundos, que consideram inclusividade e invisibilidade, empatia e generosidade.

O título “Meia-Noite” parte da observação da noite como “espaço de fluidez e quebra de normas, lugar aberto a outras possibilidades de visão, de conhecimento, de interação, aberto a outros corpos”. Para as curadoras, “a noite” é também “um espaço que sempre foi muito contestado, e ultimamente altamente politizado”. A partir desta ideia, Turpin e Oliveira propõem “trabalhar com outros territórios, ou metodologias que ajudam a pensar neste conceito de fluidez de pensamento que tenta desfazer e encontrar outras possibilidades para as dicotomias impostas pela cultura ocidental”.

Artistas e/ou personalidades francesas envolvidas:
Marguerite Duras
Elise Florenty & Marcel Türkowsky
Charles Mazé & Coline Sunier
Elfi Turpin
Sarah Maldoror

Vídeo

CAPC – Círculo de Artes Plásticas de Coimbra

Crac Occitanie

Imagens