Data(s)

22/09/2022 
22/09/2022

Local

Lisboa 

Informações Práticas

Centro Cultural de Belém
18H30

7€ (por sessão); 44€ (ciclo: 8 sessões)
Desconto de 20% para estudantes e válido apenas para bilhete de sessão singular.

Site & Redes Sociais

Apresentação

Como pensar o sensível e a estética nestes tempos mais ou menos breves, distendidos, angustiantes ou promissores? Quais podem ser as suas finalidades, projetos, incógnitas? A própria estética tem capacidade para dar um contributo decisivo aos acontecimentos do presente e aos que poderão vir a ocorrer? As transformações radicais do que se entendia ou entende por aisthesis não deveriam acompanhar as mudanças consideráveis das nossas sociedades e, mais amplamente, das pessoas? Outras problemáticas podem, evidentemente, ser sugeridas, mas dada a vocação do Centro Cultural de Belém – a instituição que convida e organiza, consagrada essencialmente a todas as formas de arte – elas deveriam poder tratar de modo direto ou indireto de questões ligadas à estética, no seu sentido mais amplo, na suas relações com a economia, a política, a ecologia, o feminismo, o cosmopolitismo…

Fabienne Brugère apresenta “As Novas Lealdades Ecológicas”, conferência na qual debate uma nova conceção de democracia que está a emergir, reforçada pela pandemia da Covid-19 e impulsionada por um «cuidar de si» dos indivíduos, mas igualmente dos seres vivos não humanos e da terra. Este projeto de uma democracia sensível começa com a crítica das soberanias dos estados-nacionais e a análise detalhada das interdependências que sustentam um mundo. Neste contexto, a hipótese eco feminista permite a realização de um diagnóstico sobre essas soberanias, com uma análise paralela das violências contra a natureza e contra as mulheres. Um devir da modernidade tecnocientífica e do capitalismo patriarcal é a considerar, bem como novas relações com a política. Que alter político podemos então imaginar no quadro de uma democracia leal a diferentes formas de cuidados?

 

O ciclo de conferências irá continuar no Centro Cultural de Belém a 13 de outubro27 de outubro.


Programa completo:

I. 17 de março | 18H30 | Jacques Rancière: Arte e Política: a travessia das fronteiras
II. 21 de abril | 18H30 | Sandra Laugier: Democracia do sensível e cultura popular
III. 12 de maio | 18H30 | Catherine Larrère: Será que existe uma estética da natureza?
IV. 26 de maio | 18H30 | Alain Caillé: Para além do pensamento crítico crítico. Paradigma do dom e Convivialismo [cancelada]
V. 23 de junho | 18H30 | Jean-Marie Schaeffer: Epifanias estéticas
VI. 22 de setembro | 18H30 | Fabienne Brugère: As Novas Lealdades Ecológicas
VII. 13 de outubro | 18H30 | Emanuele Coccia
VIII. 27 de outubro | 18H30 | Marie-José Mondzain

* Programa sujeito a alterações.